Sexo na roça com uma morena linda

Eu sempre fui um cara da cidade, acostumado com a correria e a rotina frenética. Mas, quando decidi passar as férias na fazenda do meu tio, não imaginava que aquelas terras me proporcionariam uma das melhores experiências sexuais da minha vida. E foi lá, em meio ao verde e ao ar puro, que eu tive meu primeiro sexo na roça.

Assim que cheguei, fui recebido pela minha tia, que me apresentou a todos os funcionários da fazenda. Entre eles, estava a Isabela, uma morena de olhos verdes e corpo escultural, que logo chamou minha atenção. Ela era a cozinheira e, além de preparar refeições deliciosas, também era responsável por cuidar da horta. Sempre que eu passava por lá, não conseguia evitar de admirar sua beleza e sua bunda perfeita.

Certo dia, enquanto eu ajudava meu tio a consertar uma cerca, Isabela apareceu para nos trazer água. Ficamos sozinhos por alguns minutos e, sem conseguir resistir, me aproximei dela e a beijei. Ela correspondeu imediatamente e, logo em seguida, já estávamos nos agarrando freneticamente.

Eu a prensava contra a cerca, enquanto suas mãos percorriam meu corpo e minha língua explorava sua boca. Aos poucos, fomos nos despindo e, quando percebi, ela já estava de quatro para mim, com a bunda empinada e a buceta molhada.

Sem perder tempo, penetrei nela com força, fazendo-a gemer alto. Era um prazer indescritível estar ali, em meio à natureza, fodendo com aquela mulher maravilhosa. Seus gemidos ecoavam pelo campo, me deixando ainda mais excitado.

Enquanto eu a comia, ela pedia para que eu batesse em sua bunda. E eu não neguei, dando tapas fortes em suas nádegas, que ficaram vermelhas e marcadas. Aquilo só a deixava ainda mais molhada, e eu aproveitava para enfiar meu dedo em seu cu, fazendo-a delirar de prazer.

Depois de muito meter naquela buceta quente e apertada, Isabela se ajoelhou e começou a chupar meu pau. Ela engolia tudo com vontade, lambendo minha piroca e sugando minhas bolas. Eu segurava seu cabelo e a guiava em um ritmo cada vez mais intenso, até que finalmente gozei em sua boca, enchendo-a com meu leite quente.

Depois daquele primeiro encontro, não conseguíamos nos manter longe um do outro. Aproveitávamos cada oportunidade para nos encontrarmos e transar em algum canto da fazenda. E a cada vez, era ainda mais intenso e prazeroso.

Em uma tarde, enquanto eu caminhava pelo pasto, encontrei Isabela colhendo frutas em uma árvore. Ela estava de vestido e sem calcinha, apenas com uma blusa branca que marcava seus seios. Não resisti e a puxei para trás de um galpão, onde havia um pequeno lago.

Jogando-a contra a parede, comecei a beijar seu pescoço e a apertar seus seios. Ela gemia baixinho e me pedia para foder sua bucetinha ali mesmo, ao ar livre. Não pensei duas vezes e a penetrei, com a água do lago molhando nossos corpos e nosso suor misturando-se.

Enquanto eu a comia, ela segurava meus ombros e arranhava minhas costas. Eu metia com força, sentindo sua buceta apertando meu pau e me levando à loucura. E, quando ela anunciou que ia gozar, eu acelerei ainda mais meus movimentos, até que explodimos juntos em um orgasmo intenso e inesquecível.

Depois desse dia, nossa relação ficou ainda mais intensa. Nos encontrávamos em todos os lugares da fazenda, sempre com muito tesão e vontade de gozar. Até mesmo nos banhos de rio, aproveitávamos para foder gostoso, com a água gelada apenas aumentando nossa excitação.

E foi em uma dessas ocasiões, em uma noite de lua cheia, que tive o melhor sexo na roça da minha vida. Isabela me levou até a beira do rio, onde havia uma pequena cachoeira. Ali, ela se deitou em uma rocha, com as pernas abertas e a bucetinha molhada me esperando.

Sem pensar duas vezes, me joguei sobre ela e a penetrei com força. O barulho da água caindo e o luar iluminando nossos corpos nus só aumentavam o clima de tesão. E, enquanto eu a comia com força, ela se masturbava, enfiando seus dedos em sua buceta e gemendo alto.

Não demorou muito para que ela gozasse, apertando meu pau com força e me fazendo gozar também, enchendo sua buceta com meu gozo quente e abundante. E ali, sob a luz da lua, nos abraçamos e nos beijamos, desfrutando do momento e da conexão que tínhamos.

Depois daquela noite, voltei para a cidade, mas nunca esqueci daquele sexo na roça incrível que vivi na fazenda do meu tio. E, sempre que posso, dou um jeito de voltar lá e me encontrar com Isabela. Afinal, não há nada melhor do que foder em meio à natureza, em um lugar onde só o que importa é o prazer.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima